quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Mais sobre as moedas de Timor Leste

Em entradas anteriores referimos e mostrámos as fotos que estão na origem de algumas das moedas de Timor Leste emitidas em 2003, os centavos. Já agora completemos as informações dadas.

As moedas têm uma face comum onde está representado um kaibauk, um dos simbolos do poder no quadro da soeciedade tradicional timorense. Uma peça com igual formato aparece em outras culturas e tenho para mim, provavelmente erradamente, que ele representa a lua, tal como o belak representará o sol. Quem "tem" o sol e a lua tem o poder de controlar o dia e a noite, a vida e a morte... Será isso? Creio que, no fundo, é disso que se trata mesmo que cada cultura dê uma explicação diferente para o uso daqueles símbolos.
O kibauk que foi usado para o desenho da moeda é o representado abaixo --- na moeda não aparece a "casa de Lautém" para criar espaço para a inserção do número correspondente ao valor de cada moeda.

Kaibauk usado no desenho das moedas de centavos;
pertence agora ao banco central de Timor Leste, a ABP


A moeda de 1 centavo representa um nautilus, um cefalópode marinho que vive a profundidades de cerca de 300 metros mas cuja concha, uma vez vazia, emerge à superfície devido às "câmaras de ar" que possuem; é vulgar aparecerem à venda em algumas bancas de borda de estrada, incluindo em Dili. Com a sua escolha pretendeu-se enfatizar a necessidade de proteger a natureza e a sua diversidade em Timor Leste.


Já nos referimos à moeda de 5 centavos, a que representa o arroz, base alimentar de muitos timorenses.
A moeda de 10 centavos representa um galo de briga e pretende ser uma homenagem não só à luta pela independência de Timor Leste como também ao "braço armado" dessa luta, as FALINTIL.
O galo está também, como referimos noutro local, representado num selo do país. A fotografia abaixo recorda o motivo principal de uma outra em que o galo está "eriçado" porque está a desafiar um pequeno macaco que estava por perto (no "Mercado dos 'Tais'").


A moeda de 25 centavos representa um 'beiro' (fotografado abaixo na praia de Bidau-Santana) e é uma homenagem aos muitos pescadores artesanais do país bem como uma referência à riqueza piscícola de Timor. Pertence actualmente ao banco central e tem uma "estória" curiosa que vale a pena recordar aqui --- afinal a História não é "uma série sucessiva de (factos e) "estórias" que se sucedem sucessivamente" ? :-).
Comprado meio destruído em Liquiçá por dois portugueses que estiveram em Timor Leste após 2000 e por eles mandado reconstruir para "darem umas voltinhas" nos fins de semana nas águas (normalmente) mansas da baía de Dili, ele foi acabado quando um dos proprietários estava de férias em Portugal. Sportinguista ferrenho, o que ficou em Timor mandou pintar a embarcação de verde. O pior foi quando ele, depois de a co-proprietária ter regressado de férias, veio também a Portugal. Simpatizante do "Porto", aproveitou a ausência do colega para mandar repintar o barco de azul e branco... E assim ficou o "Areia Branca", seu nome de baptismo.
Regressados ambos a Portugal, ofereceram o beiro ao banco central quando souberam que ele estava "imortalizado" na moeda de 25 centavos.


Para terminar a apresentação das moedas falta referir a de valor mais elevado, a de 50 centavos, onde está figurado o café. Trata-se de uma referência à principal produção de exportação do país e produto que leva o nome de Timor a todos os cantos do mundo.
A foto utilizada para o desenho da moeda respectiva é a que está abixo, tirada (com o café ainda em verde...) algures na estrada entre Gleno e Ermera.

2 comentários:

  1. eu quero saber quem que aparece na moeda de dez centavos

    ResponderEliminar
  2. A moeda de 10 centavos, tal como é dito no texto, representa na sua face própria um galo de combate, o que está retratado na fotografia

    ResponderEliminar